Ser mulher nos dias de hoje

09 outubro 2015
Ser mulher nos dias de hoje não é algo fácil. Não quero entrar no assunto de feminismo, machismo ou o que for, queria apenas desabafar sobre como é difícil o dia a dia de uma mulher com a ignorância que existe hoje.

Estamos em uma época onde o assunto é muito discutido e muitas pessoas tem se conscientizado (amém). Mas parece que nosso mundo tá tão podre, que a diferença que isso realmente faz na nossa vida é minima. Esses dias eu tava pensando em uma coisa que nunca cheguei a falar pra ninguém mas que sei que muitas mulheres compartilham disso comigo: eu tenho medo de ser estrupada.

Pois é. Absurdo né? Mas é verdade. Eu morro de medo de andar sozinha na rua, de ir pra um lugar estranho pela primeira vez e as vezes até de estar dentro de um lugar sozinha. Outro dia estava em um bar e fui no banheiro que ficava no andar de cima e não tinha ninguém lá. Só pensei: e se alguém entrasse aqui? E isso porque não sou uma pessoa noiada que se preocupa demais.



E é claro: eu fui direto ao maior dos medos, sem mencionar todas aquelas coisas chatas, absurdas e comuns que acontecem quase diariamente com todas nós: um carro que dá varias voltas no quarteirão enquanto você ta andando sozinha, um babaca no metrô que tenta se aproveitar quando esta cheio, ou até aquele momento que você atravessa a rua pra não passar no meio de um grupo de homens e ainda assim escuta baixaria.

Eu queria muito viver em um mundo onde esse tipo de coisa não existisse. Onde todos entendessem que nós não temos que aceitar essas atitudes como elogios e muito menos ter que mudar nossas rotinas e modos pra talvez evitar situações constrangedoras.

Tem quem diga que sempre vai ter alguém pra estragar e agir como um animal com as mulheres. Mas e se não? Eu prefiro acreditar que isso pode mudar sim. Que da mesma forma que homens cresceram assim por conta da sua criação, com dialogos e ensinamentos, isso pode mudar. Já aconteceu de eu ver um homem defendendo algum tipo de atitude nojenta de outro homem e quando pediram pra ele se por no lugar da mulher, ele ficar sem graça. Porque é isso que falta: parar de olhar apenas o próprio umbigo e se colocar no lugar do outro.

Espero que todas as pessoas que pensam sobre o assunto deem seu máximo pra passar valores melhores adiante. Eu acredito que isso ainda pode mudar. Então vamos fazer nossa parte, certo?


6 comentários

  1. Esses dias eu estou discutindo aqui em casa isso direto. Ontem foi meu pai, estava vendo a novela aqui e tem uma parte da novela em que as meninas estão em um salão e elas só falam de homem, dai foi um cara lá no salão fazer uma entrega e elas começaram a dar em cima do cara descaradamente, aí meu pai falou "Tudo piranha, voando em cima do cara" ai eu falei "Vira mulher e passa em frente de uma obra ou em frente a um posto de gasolina pra você ver o que é pior do que isso aí" ai ele ficou resmungando. Ai agora foi a minha mãe "Filha, não vai de short curto pra balada não, se não vão pensar que você é puta" aí eu falei "Mãe, eu posso ir de burca que vão continuar me achando uma puta, a roupa não tem nada haver" e é isso, o machismo é uma ideia padronizada que a sociedade tem, vai ser difícil tirar isso da cabeça, mas se cada um fizer a sua parte, já ajuda né? Adorei o post!

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, acho que é ainda mais complicado quando vemos/ouvimos essas coisas de pessoas tão próximas né? Nos da a ideia do quanto ainda temos que discutir sobre isso pra tentar fazer alguma diferença.
      Mas exatamente: se cada um fizer uma partezinha, já ajuda!

      Beijos Thami!

      Excluir
  2. Texto bem escrito, gostei bastante.

    http://alinesecretplace.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. ''Eu entendo o feminismo quando estou numa rua escura e deserta e percebo que há alguém atrás de mim. E quando olho para trás e percebo que esse alguém é uma mulher, meu coração para de palpitar e sei que ela também está feliz em me ver!'' Vi no facebook esses dias e pensei: É SEMPRE ESSE SENTIMENTO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É muito foda, né?
      QUeria que as pessoas entendessem mais esse sentimento. Porque não acredito na mudança da noite pro dia (infelizmente) mas se entendessem mais, já seria um começo pra mudança.

      Excluir

 
Jéssica Bellisoni | Base por Michelly Melo .