Tudo anseia por ser selvagem

12 abril 2015
Não quero abrir mão do meu conforto (muito menos da minha banda larga), mas como invejo admiro aqueles “malucos” que largam tudo e vão ser felizes. Puta coragem do caralho!

No outro texto fiz alusão de como o medo impede novos passos. Não faltam desculpas para estagnar. Somos em tantas pessoas presas num mundo de plástico, que se esquecemos de que menos é mais. Sempre foi. Sempre será.

Não há quem não se interesse por histórias de pessoas que “largaram tudo” e hoje dizem ter ainda mais – e eu acredito nelas. No fundo, o que todos querem mesmo é tranquilidade, paz de espírito e natureza.


Não precisamos voltar às cavernas, mas está pra nascer quem não curte uma praia, um friozinho, uma escalada ou qualquer coisa que te coloque cara a cara com a existência. Qualquer coisa que transgrida essa barreira do mundo moderno.

“(...) e Jake, ao mesmo tempo em que gostava de sua silenciosa companhia, adorava suas raras elocuções. Sete Luas, por reverência ou desconfiança da linguagem, nunca falava muito, mas, quando o fazia, sempre dizia alguma coisa. Jake se lembrava de algumas vezes em particular. Uma vez, enquanto olhavam o sol se pôr no mar, Sete Luas dissera com o doce enfado do deslumbramento constante:

- Sabe, eu vi o sol se pôr 30 mil vezes e não consigo me lembrar de duas que tenham sido iguais. Que mais é possível desejar?

Numa outra vez, varreu a mão pela paisagem e disse:

- Arg, vocês brancos fizeram muito pra tirar isso da gente, mas nada para merecer. Vocês querem domar tudo, mas, se ficassem quietos e sentissem por um momento, saberiam que tudo anseia por ser selvagem.”
(Trecho do livro FUP, na página 74, escrito por Jim Dodge)

Joca O.

5 comentários

  1. Nossa, amei a reflexão! Eu tava comentando com meu namorido outro dia que corremos tanto no dia a dia que sinto falta de fazer uma caminhada no parque, assistir o pôr do sol na praia, entre outros. E adorei esse trechinho que você colocou, não conhecia esse livro, mas fiquei interessada em saber mais sobre ele!

    Beijos!

    Beleza Mista

    ResponderExcluir
  2. É, eu confesso que também não conseguiria largar tudo e andar por aí onde não tem wifi, hahahaha! Mas pensando por outro lado, é uma vista incrível que eu perderia né? Porque o mundo tem tantos lugares bonitos, só basta a gente deixar e permitir conhecer cada canto. Largar o online e viver no real.

    Beijos!
    www.likeparadise.com.br

    ResponderExcluir
  3. Eu amo ler esse tipo de história! Principalmente das pessoas que largaram tudo para viajar o mundo. Acho incrível. Não sei se eu conseguiria... Beijos

    Fernanda Mrgd

    ResponderExcluir
  4. Eu morro de vontade de largar tudo e cair no mundo, mas pra fazer isso é preciso alguns "preparos" que ainda não consegui fazer, não sei, pra mim não dá pra simplesmente ir sem nada, tenho algumas amarras e preciso de um pouco de segurança financeira, porque tenho medo de morrer de fome ou sem acesso a saúde no caminho, sabe? hahah Mas acho muito interessante pensarmos sobre isso, somos muito 'trabalho, trabalho, trabalho, construir coisas' e não vivemos realmente, não ficamos só admirando, contemplando, parece que não há tempo para isso :T


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
  5. Esse seu post me lembra o filme "into the wild". É exatamente sobre isso e é bem legal, já viu? Todos nós precisamos, nem que seja só nas férias, de um pouco disso. De natureza, de largar a rotina, de ser selvagem. :)

    belatriz.info

    ResponderExcluir

 
Jéssica Bellisoni | Base por Michelly Melo .