Se eu ficar

07 março 2015
Acabei de terminar o livro Se Eu Ficar de Gayle Forman e eu só preciso falar sobre isso. Não vai ser exatamente uma resenha e sim uma discussão/desabafo. Só pra quem não conhece a história entrar no contexto: Mia acabou de sofrer um acidente onde perdeu os pais e o irmãozinho e ficou em estado de coma. Mas ela ainda está ali. Vendo e ouvindo tudo o que acontece a sua volta e com o poder de decidir se vai embora ou se fica.

Li esse livro depois do post da Bia do blog Close To Paradise, sobre o filme e o livro, e já esperava muita emoção e um coração apertado. E foi o que aconteceu. Como ela disse, é inevitável quem já teve um parente, amigo ou conhecido na mesma situação não imaginar um milhão de coisas. Como, por exemplo: será que, no nosso caso, ela estava ali?

É obviamente muito, muito difícil perder alguém. Entender o porque de tudo aquilo, especialmente quando são relativamente novos, então... Quase impossível. Mas aí pensar na possibilidade do livro onde alguns podem escolher se ficam ou não, é mais esclarecedor ou torna tudo mais confuso?

É complicado, né? Apesar das muitas perguntas (sem respostas), acho que o que importa não é entender, e sim aceitar. Fácil não é de forma nenhuma. Mas usando a história do livro de novo, não é possível que alguém escolheria ir embora a não ser que aquela fosse a única opção aceitável. É tanta coisa envolvida nesses casos, que não da pra ser egoísta e só pensar que você foi abandonado.


Quando é muito critico, sempre acaba chegando aquela parte onde tudo o que queremos é o bem da pessoa, independente se ela vai ficar ou não. Ninguém merece ficar aqui pra sofrer. E, as vezes, passar isso pra pessoa é o que deixa ela mais em paz pra fazer sua escolha. Que eles sentem nossa presença já é quase comprovado seja no aumento da pressão, dos batimentos ou o que quer que seja.

Mas e se eles realmente podem nos ouvir e a partir disso melhorar ou então, aceitar ir embora em paz? Acho que vale a pena tentar passar todas as boas mensagens, energias, pensamentos e até conversas. Muita coisa na vida não foi feita pra gente entender, aparentemente. Então se você já passou por isso, conhece alguém que está passando ou se um dia passar: lembra de acima de tudo, desejar o melhor pro paciente. Lembra das boas memórias e transforma em boas energias. Não é fácil e nunca vai ser. Mas tenta pensar se fosse você ali naquela situação, com a escolha do seu futuro (ou a falta dele) nas suas mãos/mente, o que você esperaria receber dos seus familiares, amigos e amores?

♪ And where I go you'll be there with me. Forever you'll be right here with me. ♪ 

9 comentários

  1. nossa eu preciso ler esse livro. antes eu já queria agora eu preciso demaaaais! hahaha
    concordo demais q mt coisa a gente n tem q entender mesmo pq foi feito assim.
    amei o post

    somundomeu.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Nossa, eu nunca tinha parado pra imaginar uma situação assim, fiquei com vontade de ler o livro. Mas acho que vou acabar apenas vendo o filme :/


    Beijos
    Brilho de Aluguel

    ResponderExcluir
  3. Acredita que eu comecei a assistir com uma amiga mas acabei pegando no sono? Ela disse que não tem lá uma emoção NOOOOSSAAAA Que emoção, mas é um bom filme. Eu achei ele bem "tranquilo" até onde assisti, mas muito lindo de qualquer maneira *-*
    Valeu a pena Esperar

    ResponderExcluir
  4. Olá, que lindo seu blog. Já estou seguindo e curtindo ali.♥♥
    Poderia passar no meu e se gostar dá uma seguida e curtida?Assim ajudamos uma a outra.
    www.blogespacoteen.com
    https://www.facebook.com/EspacoTeenComAnaLiaSantos
    Beijos e sucesso ;*

    ResponderExcluir
  5. Nossa, não sabia que a história era essa... sempre via o cartaz e tinha vontade de ver, mas agora quero mais ainda... parece que é super bonito, mesmo se tratando de um assunto não difícil..
    Adorei o blog!
    Beijinhos
    http://talitascoralick.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Já assisti o filme e chorei horrores! Sério, e não sou dessas sentimental. Mas, sempre querendo ler o livro, mesmo sabendo o final! Ah, te indiquei em uma tag, é bem simples, mas se gostar, responda hein? Hahaha.

    Beijos, Li.
    eililian.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Quero muito ler esse livro! Parece ser bem emocionante mesmo.
    Uma Questão de Estilo

    ResponderExcluir
  8. Esse é um assunto complicado mesmo, eu confesso que não sei o que eu faria. Mas gostei do seu ponto de vista =) E sim, eu acredito que eles podem nos ouvir

    Beijos!

    Beleza Mista

    ResponderExcluir
  9. (sim tô lendo seu blog todo pra me recuperar da ausência hahahaahah)
    ai essa história é tão maravilhosa e tão próxima da gente né? :(
    mas gostei do que você disse de tornar os momentos que se tem com a pessoa em boas memórias porque o filme passa muito isso, aquela cena da fogueira que eles cantam todos juntos é tão simples, como se fosse só mais um dia normal sabe? mas sempre que penso nessa história eu lembro dessa cena e é como se eu tivesse revivendo essa memória feliz com a Mia e me deixa mais leve, apesar das perdas tão difíceis dela. vou assistir o filme de novo depois de ler seu texto haahah

    você chegou a ler a continuação?? aff maravilhosa
    <3

    Close To Paradise

    ResponderExcluir

 
Jéssica Bellisoni | Base por Michelly Melo .