Um agradecimento pra minha soulmate

27 setembro 2016 3 comentários
Tava moscando no meu quarto e fiquei com muita vontade de ouvir Always and Forever, que confesso fazia um tempão que não ouvia Já no começo da música me enchi de um sentimento bom e me surpreendi mais uma vez com o jeito que essa música tem a ver com a gente. 

Acho que nunca nem falei isso tão diretamente mas você apareceu na minha vida num momento que eu precisava tanto de alguém... foi quando meus pais estavam se separando e eu sentia que tava vivendo numa terceira guerra mundial (rs). Nem lembro de onde começamos a nos falar mas guardo uma memória bizarra das nossas primeiras conversas: você me passou seu fotolog e a última foto era do Mix Festival de 2005 e sem ler o post fui surtando perguntando se você tinha ido ao show hahaha e dali pra frente não paramos mais. 


Obrigada, de todo meu coração, por mesmo sem saber não ter me deixado enlouquecer naquela época. Obrigada por ter me apresentado os Jonas Brothers antes deles terem uma gravadora e o Nick cantar a maioria das músicas. (lembra disso? hahaha) Obrigada por todos os sonhos que sonhou comigo. Por ser essa pessoa tão doce que não importa o tempo que passe eu tenho o maior carinho do mundo e o maior orgulho do mundo. 

Obrigada por ter passado por tantas fases do meu lado, mesmo estando longe. Pelos livros e séries compartilhados. E por todos os segredos e cumplicidade também.

Eu nem sei porque comecei a escrever tudo isso mas acho que se é amor e carinho, não tem hora certa pra compartilhar né? Te amo muito, e obrigada por tudo sempre. E não vejo a hora de finalmente vermos os babies juntas!

Uma especie de cartinha pra Bia, minha mate de sempre e pra sempre.

Mudanças da vida

12 agosto 2016 9 comentários
Provavelmente já falei algumas vezes que tenho medo de mudanças. Pelo menos, sempre achei que tivesse.
Mas estando aqui, na cara de mais uma mudança de casa (e de vida) eu só consigo sentir ansiedade. Pra saber como vai ser, se vai ser bom, se vou conseguir usar mais uma volta doida da vida pra melhorar coisas estagnadas e tudo mais.

Quem viu o último post do Joquinha aqui viu que ele também está encarando um desses momentos mas em uma mudança ainda maior: saindo do Brasil. Eu fiquei tão empolgada e feliz por eles que mesmo entendendo a tristeza de amigos e familiares minha cabeça só martelava “mas isso é bom. isso vai ser bom!” enquanto nos despedíamos no aeroporto.


E aí me dei conta que já faz uns bons anos que não tenho mais medo das mudanças. Mesmo aquelas que dão um friozinho na barriga por não saber o que vai acontecer, eu espero por elas. E hoje finalmente entendi que se não fossem essas mudanças de casa, de vida e de rumo eu não seria quem sou hoje. E isso não seria legal.

Acho que o quero dizer pra vocês é que vocês não devem relutar quando vida quiser dar uma chacolhada em tudo. As vezes é difícil, as vezes machuca mas no fim tudo isso vai sim mudar quem somos. E se a gente manter isso em mente, a mudança vai ser pra melhor.

Então que venham! E que a gente consiga sempre apreciar cada momento novo.

E quando eu vou voltar, quem vai saber

05 agosto 2016 3 comentários
Sei que estava sumido (meu último post foi em novembro de 2015), mas as pessoas que me conhecem melhor sabem os motivos que tiraram o meu foco daqui.

Resumidamente, estava trabalhando muito para juntar uma grana que precisava. Todo acelerado, nesse tempo (não nessa ordem), me casei, fiquei internado e necessitei de alguns cuidados médicos, viajei, perdi pessoas queridas, revi bons amigos (não todos que gostaria), vivi momentos incríveis e, como a maioria já sabe, preparei a maior mudança da minha vida.


Neste sábado, estou saindo do Brasil. E, como sugere o título do texto, vai saber quando volto ou se volto.

Sei que sentir saudades será inevitável, assim como buscar a felicidade também é.

Com isso tudo, foi difícil não se emocionar algumas vezes. Foi impossível segurar o choro em tantas outras.

Cada detalhe parece importante agora.

Observar o quarto vazio dá um nó no estômago.

Ouvir minha família batendo papo na cozinha faz o olhar marejar novamente.

É torturante dar tchau aos familiares e amigos. É pouco, mas somente o "até breve" conforta (um mínimo) o coração.

Apenas percebo que essas lágrimas (de ambos os lados) são sinais de que cada esforço e instante valeram a pena.

Sei que o post ficou grande, bem pessoal, mas precisava fazer este desabafo/agradecimento a todas as pessoas importantes da minha vida.

Bianca, meu amor, aqui escrevo para você e quem quiser ler. Te amo. Obrigado por abraçar este sonho comigo. Espero te fazer a pessoa mais feliz do mundo. Espero conseguir tudo o que você precisa, antes mesmo de você precisar. Você é, agora e sempre, parte do meu coração!

Tentarei escrever textos aqui com mais frequência, mas não prometo pois não sei o que me espera por lá no Canadá. Só sei que espero por visitas. Todas possíveis.

Pra finalizar, a música que inspirou o título e diz muito sobre este momento :

PRIMEIRO ANDAR
(Los Hermanos)

Já vou, será
Eu quero ver
O mundo eu sei
Não é esse lá
Por onde andar
Eu começo por onde a estrada vai
E não culpo a cidade, o pai
Vou lá, andar
E o que eu vou ver
Eu sei lá
Não faz disso esse drama essa dor
É que a sorte é preciso tirar pra ter
Perigo é eu me esconder em você
E quando eu vou voltar, quem vai saber
Se alguém numa curva me convidar
Eu vou lá
Que andar é reconhecer
Olhar
Eu preciso andar
Um caminho só
Vou buscar alguém
Que eu nem sei quem sou
Eu escrevo e te conto o que eu vi
E me mostro de lá pra você
Guarde um sonho bom pra mim

JOCA O.
 
Jéssica Bellisoni | Base por Michelly Melo .